Cristiano da Rosa

 

CURRÍCULO LATTES                         http://lattes.cnpq.br/1727685682955502

ESCOLARIDADE

Ciências Jurídicas e Sociais - Direito
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC/RS

3 ° GRAU: 2003 à 2008

Filosofia

Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

3 ° GRAU: 2011 - 3° Semestre (com aproveitamento filosofia PUC/RS)

Ciências Sociais - Sociologia

Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

3 ° GRAU: 2016 - 6° Semestre

 

APERFEIÇOAMENTO

Datilografia

Centro Social São Carlos
120h

Digitação - 300 Toque p/ minuto

1° Centro de Telemática de Área
172h

Informática - XP/VISTA/SEVEN; Pacote do Oficie, Html; Edição de som e imagem; Gerenciamento de arquivos, banco de dados; Instalação e manutenção de software e hardware.

 

Desenho, leitura e interpretação de desenho técnico
Escola Nacional de Desenho
20h

Inglês

SENAC Idiomas

2 Semestres - Nível 1.

Italiano

ETC... Idiomas

Módulo 4 - 4 Semestres (260h) 2013 – 60h/semestre

Escrita – Gramática

Curso Permanente de Português

65h

Análise gráfica e fundamentalista / planejamento econômico

XP Investimento

12h

Formação Educador social

Ministério do Trabalho e Emprego/ ACBERGS

20h

Dicção e Oratória, Respiração, Desinibição

CIEE – Centro de Integração Empresa-Escola.

6h

II Curso de capacitação de voluntários CCPOA

CCPOA - Concelho da Comunidade de Porto Alegre

20h

Curso de Coordenador de Práticas Restaurativas

AJURIS - Escola Superior da Magistratura

64h (32h iniciação)

Arte Real

GLMERGS – Mestre.·.

5 Anos

Elaboração de Projetos Sociais e SICONV

FDRH - Escola de Governo / FEEVALE

60h

Astrofísica Geral

ON - Observatório Nacional / instituto de pesquisas do Ministério da Ciencia, Tecnologia e inovação.

120h - 2013

Facilitador de Círculo de Construção de PAZ

AJURIS - Escola Superior da Magistratura

40h – 29/junho – 02/julho 2015

Conciliação e Mediação – Soluções alternativas para a resolução dos conflitos

NUPEMEC - Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos TJRS - CEJUSC

40h – 27/julho – 31/julho 2015

PROJETISTA SOCIAL– Elaborador de projetos sociais

SENAC  – Serviço Nacional de Aprendizagem

15H – 23/nov 27/nov 2015

 

EXPERIÊNCIA

Formado em Ciências Jurídicas e Sociais na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, (2003 à 2008) e ingresso nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil 12/02/2010, comecei a atuação na Área criminal, ligando-me de imediato a Pesquisa e Voluntariado na área de Sistema Prisional e Direitos Humanos.  Atualmente, sou graduando em Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS, estando no 5° Semestre, concentrando o currículo para área de antropologia, violência, cidadania e política criminal.

 

Como formação na área, habilitei-me em  Formação Educador social pelo Ministério do Trabalho e Emprego/ ACBERGS, (20h);  II Curso de capacitação de voluntários CCPOA, do Concelho da Comunidade de Porto Alegre (20h);  Curso de Coordenador de Práticas Restaurativas pela AJURIS - Escola Superior da Magistratura (64h);  Elaboração de Projetos Sociais e SICONV, FDRH - Escola de Governo / FEEVALE (60h); Facilitador de Círculo de Construção de PAZ, AJURIS - Escola Superior da Magistratura, (40h) 2015; Conciliação e Mediação – Soluções alternativas para a resolução dos conflitos, NUPEMEC - Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos TJRS – CEJUSC, (40h) 2015.

 

Atuando profissionalmente fui estagiário Policia Civil SPI/DIMP- Divisão de Informática da Policia, tendo contato com estatísticas, relatórios e Cadastramento do DETRAN e SUSEPE (10/01/1996 à 17/11/1996);                 Ministério da Defesa (Exercito) exercendo vários projetos de fins sociais em regiões periféricas e de vulnerabilidade, (08/03/1999 à 07/03/2006); Defensoria Pública do Estado, fazendo Petições iniciais e atendimento ao público como Auxiliar Defensora Pública Dr. Carla (01/07/2005 à 05/11/2005); Tribunal de Justiça, atuando em vara criminal, nas rotinas cartorárias e auxilio ao magistrado, (09/03/2006 à 21/03/2008); Voluntariado CCPOA - Concelho da Comunidade de Porto Alegre, VICE-PRESIDENTE - ART 80,  81,  LEP –Assistência ao preso e família, inspeção aos presídios, intervenção com as instituição relacionadas a execução da pena (2011/2015);               JURADO, TJRS – Conselho de sentença - ART 436,  439,  440,  CPP, (2013);  ACRIERGS – Associação dos Criminalistas do Estado do Rio Grande do Sul, (2014);  Projeto relativização do senso comum em relação ao preso: http://www.facebook.com/cristanorosa.rs (2012); Fórum Internacional Carcerário – TJRS, Membro convidado (25-05-2015); AMC2 - Associação de Moradores da Cefer Dois , PRESIDENTE, Projeto piloto para assistência jurídica e humanitária – (2015/2018)

INSTITUIÇÕES

Fin-Hab Crédito Imobiliário S.A.
Auxiliar de Agente Financeiro
Fechamento de balanço, maquina HP, Protocolo, Conferencia e Arquivamento de Documentação.
27/12/1993 à 31/01995

Policia Civil SPI/DIMP (Divisão de Informática da Policia)
Digitador, Cadastramento do DETRAN e SUSEPE.
10/01/1996 à 17/11/1996

Ministério da Defesa (Exercito)

Critica de Sistema, Relações Publica, Controle de Suprimentos, radiograma, construção de bibliotecas e Comissão de seleção.

08/03/1999 à 07/03/2006

Defensoria Pública do Estado

Petições iniciais e atendimento ao publico. Auxiliar Defensora Publica Dr. Carla.
01/07/2005 à 05/11/2005

Tribunal de Justiça

Atividade forense, cadastro, protocolo, informação, distribuição, relatório, afins cartorários.

09/03/2006 à 21/03/2008

Calmar Corretora - Seguros e Empréstimos

Consultoria empresarial

02/06/2008 à 11/10/2008

CEEE - Companhia de Energia Elétrica do Estado

Jurídico / Direito Publico

30/11/2008 à 31/03/2009

OAB - Ordem dos Advogados do Brasil

Profissional em Advocacia, inscrito sob numero 78.652/RS.

12/02/2010 (Inscrição nos quadros da subseção Porto Alegre)

Palestrante

Recursos tecnológicos e direito - Novos rumos para didática.

06/04/2010

ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA

Área criminal -  Cristiano Rosa.

2011

CEJA - Membro da Comissão Especial do Jovem Advogado OAB/RS

Registrado nos assentamentos, portaria GP N° 2124/2010, 21/10/10. Pres. Claudio Lamachia.

Triênio 2010 à 2012

CCPOA - Concelho da Comunidade de Porto Alegre

Diretoria - VICE-PRESIDENTE - ART 80,[1] 81,[2] LEP - Assembleia Geral 2011.

Gestão 2012/2014

AMC2 - Associação de Moradores da Cefer Dois

Diretoria - VICE-PRESIDENTE - Assembleia Geral - ATA 13/2012

PESQUISADOR

CNPCP - Sociedade e Estado ante os modelos de ressocialização, alternativas ao aumento da reincidência.

2011

CDG – Companhia de Desenvolvimento de Gravataí

Diretor jurídico

2012

CONSULTOR JURÍDICO

Projeto e gestão em informatização jurídica.

PERITO ESPECIALISTA

Parecer técnico em conteúdo probatório cadastrado no TJRS.

JURADO

TJRS – Conselho de sentença - ART 436,[3] 439,[4] 440,[5] CPP.

05-08-2013 – 2090024564-7

UAMPA – União de Associações de moradores de Porto Alegre

Diretor Regional Zona Leste

05-08-2013 – 2090024564-7

ACRIERGS – Associação dos Criminalistas do Estado do Rio Grande do Sul

Associado

01-03-2014

DCE UFRGS

DCE – DIRETORIÓ CENTRAL DE ESTUDANTES

2015

AMC2 - Associação de Moradores da Cefer Dois

Diretoria - PRESIDENTE - Assembleia Geral - ATA 01/2015

OP - Orçamento Participativo

Delegado OP - ZONA LESTE bairro Jardim Carvalho – AMC2

2015-2016

 


[1] Haverá, em cada comarca, um Conselho da Comunidade composto, no mínimo, por 1 (um) representante de associação comercial ou industrial, 1 (um) advogado indicado pela Seção da Ordem dos Advogados do Brasil, 1 (um) Defensor Público indicado pelo Defensor Público Geral e 1 (um) assistente social escolhido pela Delegacia Seccional do Conselho Nacional de Assistentes Sociais.

[2] Art. 81. Incumbe ao Conselho da Comunidade: - visitar, pelo menos mensalmente, os estabelecimentos penais existentes na comarca; II - entrevistar presos; III - apresentar relatórios mensais ao Juiz da execução e ao Conselho Penitenciário; IV - diligenciar a obtenção de recursos materiais e humanos para melhor assistência ao preso ou internado, em harmonia com a direção do estabelecimento.

[3] O serviço do júri é obrigatório. O alistamento compreenderá os cidadãos maiores de 18 (dezoito) anos de notória idoneidade.

[4] O exercício efetivo da função de jurado constituirá serviço público relevante e estabelecerá presunção de idoneidade moral.

[5] Constitui também direito do jurado, na condição do art. 439 deste Código, preferência, em igualdade de condições, nas licitações públicas e no provimento, mediante concurso, de cargo ou função pública, bem como nos casos de promoção funcional ou remoção voluntária.